Toca a meter as mãos no barro

Podia dizer que foi o meu filho de 16 meses que fez a pedido da educadora. Porque toda a gente sabe que os nossos filhos são sempre mais prendados que os filhos dos outros.
Mas não foi mesmo aqui a mãe que esteve a fazer noitada a fazer esta linda obra de arte para entregar na escola com 3 dias de atraso.
O pedido foi um animal da quinta feito em barro para ser incluído no presépio coletivo da escola.porco.jpg

Ora bem todos aqueles anos a brincar com plasticina tinham que ter alguma utilidade!

Pumba saíu um porco 🐷!

 

Pois é, como uma desgraça nunca vem só chegou a vez da Madalena.  A tarefa dela é mais exigente pois teria que fazer com o quadrado de barro que lhe deram uma lavadeira.

Leram bem, uma L A V A D E I R A!!!

A minha reação quando a educadora me disse o que era suposto fazer com o aquele quadrado de barro foi: E não quer sugerir algo mais complicado porque eu acho que uma lavadeira é simples demais.

A Madalena não se deixou intimidar pela tarefa pedida. Fez um plano em papel (que infelizmente eu não fotografei e como acabou todo sujo e foi parar ao lixo).

E eu que sou mais dos trapos pensei, tenho que dar a volta ao problema de outra forma. Fui à minha caixa dos trapos e fiz uma trouxa e um avental.

lavadeira.jpgAs duas juntas moldámos o barro e o que saíu foi a bela lavadeira que vêm aqui na foto. Na verdade eu deixei a Madalena criar o que bem quis e apenas coloquei os reforços com arames e palitos e depois prendi a trouxa e o avental com alfinetes.

Eu não vou ganhar o concurso das mães (que todas nós sabemos que existe mesmo que não oficialmente), mas digo-vos a minha filha já ganhou o da lavadeira mais bonita e elegante!

 

 

Presente do dia dos Avós

Pois é aproxima-se o Dia dos Avós… dia 26 de Julho para quem não sabe é dedicado aos avós. Celebra-se em Portugal e no Brasil neste dia pois é o dia de Santa Ana e São Joaquim, os avós de Jesus.

Fui consultar essa famosa fonte bibliográfica que é a Wikipédia e lá diz o seguinte:

“Conta a história que, no século I a.C., Ana e seu marido, Joaquim, viviam em Nazaré e não tinham filhos, mas sempre rezavam pedindo que o Senhor lhes enviasse uma criança. Apesar da idade avançada do casal, um anjo do Senhor apareceu e comunicou que Ana estava grávida, e eles tiveram a graça de ter uma menina abençoada a quem batizaram de Maria. Santa Ana é considerada a padroeira das mulheres grávidas e dos que desejam ter filhos. Ana morreu quando Maria tinha apenas três anos. Maria cresceu conhecendo e amando a Deus e foi por Ele a escolhida para ser mãe de seu filho Jesus Cristo. São Joaquim e Santa Ana são por isso os padroeiros dos avôs.”

f5ad8a_e919281d1f344ac2b2cf8d665ba5d917-mv2_d_3333_1966_s_2

Eu já tratei de fazer o presente para dar aos avós cá de casa. E vocês já pensaram no que vão dar aos vossos? Já sabem As Trapices que a Mãe faz e podem entrar em contacto comigo para fazer um presente personalizado para os vossos avós.

Trapices – Porque mães há muitas

Mães há muitas e cada uma com o seu talento… não me venham cá dizer que não têm nenhum. Porque nem que seja conseguir sacar uma gargalhada ao vosso filho, ou o oposto, depois de um dia merdoso vocês são capazes!

Eu sempre gostei de “trabalhos manuais” de preparar festas, convites e afins… Desde que a Madalena nasceu, passei a ter a desculpa perfeita para “perder tempo” com estas coisas e dar asas à imaginação. Eu já tinha feito umas quantas coisas para os aniversários e Baptismo da Madalena e fiquei com o bichinho. Agora é oficial faço quadros digitais de ardósia personalizados com o tema à vossa escolha para que possam imprimir no suporte que pretenderem: Aniversários, Casamentos, Baptizados, Lemas de Vida, Convites… Tudo coisas bonitas para dar mais cor ao teu dia especial ou aquele cantinho lá de casa.

cropped-imagem-de-capa-11.jpg

Não vou deixar de escrever aquilo que penso nem deixar de contar as aventuras da minha vida de mãe e dos meus filhos, apenas passarei também a ter um espaço dedicado e este projecto na página do Trapices no Facebook e aqui no site também. Quem sabe se este projecto As Trapices que a Mãe Faz… passe estar num espaço apenas dele.

Por isso já sabem se o vosso menino ou menina vai fazer anos ou apenas têm um Lema que pretendem colocar na parede lá de casa e precisam de um quadro entrem em contacto comigo que eu tenho a solução perfeita.

Andei a brincar às bonecas

Sempre adorei trabalhos manuais. Não sou muito prendada, mas acredito que se tivesse mais tempo, ou se dedicasse mais tempo a estas coisas até não me saía mal.

Ontem tive que refazer uma almofada que estava rota e com o mexer em retalhos e linhas lembrei-me de como era feliz quando a minha mãe me fazia roupa para as bonecas. Sentia-me muito orgulhosa e vaidosa porque mais ninguém tinha roupas iguais às minhas. Mal eu compreendia, na altura, que a minha mãe me as fazia porque não havia dinheiro para gastar em roupa de bonecas e apenas queria ver a sua filha feliz.

Hoje sou uma pessoa melhor devido a estas pequenas coisas. Os meus pais passaram-me bons valores que eu quero passar aos meus filhos. Não quero que eles tomem tudo como garantido e cheio de facilitismos. Nada disso vão ter que lutar pelas coisas que querem e perceberem o valor e o custo das coisas. Mas isso são outras conversas, agora estava a falar de bonecas e retalhos.

Lá tentei fazer umas roupas para a boneca Ariel que a Madalena escolheu propositadamente para o efeito. A boneca tem um formato de corpo diferente, tem uma cintura fina muito subida, ancas largas e peito pequeno. Felizmente as bonecas agora já têm tipos de corpo diferentes da típica barbie.

Não são as roupas mais perfeitas do Mundo mas, são certamente as que estão mais carregadas de amor e dedicação. Na verdade deu-me muito gozo estar de volta dos panos e das linhas a brincar às bonecas. Quem sabe daqui a uns anos a minha filha faça o mesmo para a sua filha e se lembre deste dia.

Confesso-vos que estou cheia de vontade de voltar a pegar na máquina de costura e voltar a fazer mais coisas.

Quando for velha, se não estiver cegueta, terei sempre ocupação.

Os meus trabalhos manuais

Adoro linhas, botões, tecidos, fitas… tudo o que se relacione com costura e trabalhos manuais. Não é segredo para as pessoas que me conhecem e agora também não o é para os que não me conhecem.

Sempre que posso compro mais “tralhas” relacionadas com esta arte. Arte que eu não domino de todo, mas que tento inventar a forma de fazer. Sei que este amor pela costura vem da minha mãe, de a ver de volta das lãs a fazer camisolas, casacos e botas quentinhas para o inverno. Ah já agora se estás a ler isto mãe: quero umas botinhas para mim se faz favor!

As coisas que sei fazer são poucas, mas a vontade de criar e fazer mais coisas é muito grande. O meu amor à costura é tão grande que o meu marido foi um querido e à 2 anos ofereceu-me uma máquina de costura. Bem sei que lhe tenho dado pouco uso, mas nos últimos dias tenho andado a pensar nela e no que poderia fazer. Antes da Madalena nascer dedicava muito tempo ao ponto cruz, fiz inúmeros quadros e coisas afins. Quando estive grávida dela fiz alguns babetes e lençóis. Na verdade ainda tenho umas toalhas de casa de banho que comecei a bordar antes do meu casamento (que foi em 2011) para colocar na casa de banho da minha mãe no dia do casamento. Tens razão mãe, estou em falta contigo, mas escolhi umas rosas amarelas que só dá para fazer durante o dia porque os tons dos fios são muito semelhantes e acabaram por ficar lá num canto.

De vez em quando mato o bichinho do ponto cruz, faço uns babetes ou umas fraldas para ofecer a alguma recém mamã. E fico sempre com vontade de mais, mas passado uns dias passa-me a vontade.

Outra coisa que descobri que conseguia fazer coisas muito engraçadas para a Madalena foi o feltro. Deliciei-me a fazer coisas para ela brincar ou até enfeites para a árvore de Natal.

 Adoro trabalhos manuais mas sou uma preguiçosa. Fica aqui prometido que me vou dedicar mais à minha máquina de costura e depois partilho as minhas obras de arte com vocês.