E agora férias

Hoje a minha filha terminou o seu primeiro ano de escola.

Foi uma viagem do caraças. Ela esteve sempre à altura do desafio. Mesmo quando nos fecharam novamente em casa e ela teve que passar ter aulas online.

Ver a minha filha entrar naquela escola todos os dias, na “mesma” escola onde eu também já estudei é algo de mágico.

Ver tudo aquilo que ela aprendeu este ano deixa-me completamente fascinada. Nunca ela se queixou de ter trabalhos de casa ou de as aulas serem uma seca. Lá vira o dia eu sei mas por agora posso dizer que ela gosta mesmo da escola.

Agora venham as férias, os horários flexíveis, os dias de brincadeira, os dias de praia, a aldeia colorida e sei lá mais o quê.

TU MERECES TUDO FILHA.

A mãe está babada e ainda se pergunta onde foi parar a minha menina pequenina…

Colinho

A aproveitar enquanto ele me quer como sua almofada.

Como é que o meu bebé cresceu tão rápido.

Dinossauros!!!

About yesterday…

Os miúdos estavam loucos e os pais levaram uma tareia.

Mas pensavam inocentemente que os miúdos iam desmaiar quando chegassem à cama.

ERRADO!

Eram quase 22:30 quando eles adormeceram.

Eles estavam tão eufóricos que só queriam falar de dinossauros, ser dinossáuros, brincar com dinossauros.

Ela só perguntava quando voltavamos e fazia planos para uma próxima visita.

Verdade seja dita, foi um dia fantástico!

Piratinhas

Sim é verdade tenho um barco insuflável no meio da sala.

Não é o melhor objeto de decoração, mas ontem rendeu pelo menos 4 horas de brincadeira sem birras ou “guerras* entre os dois.

Anda uma pessoa a gastar dinheiro em brinquedos caros para quê.

Basta um barco insuflável e a imaginação de dois piratas.

Entrei em pânico

Há lá melhor injeção de adrenalina que descobrir um dos pneus furado quando tens que ir buscar os teus filhos à escola e faltam 10 min para eles saírem?

Pois é… Pneu mudado em 20 min isto depois de um ataque de pânico e choro à mistura. Isto de não ter rede segurança e uma equipa de backup para estas situações é f@##_.

Não consigo explicar o desespero que senti quando comecei a tentar tirar os parafusos e aquilo não cedia. Imaginei que ia demorar montes de tempo e pedir socorro ao pai das crianças não ia adiantar as porque ele iria demorar.

Entrei em pânico, confesso. Mas nada como uma chamada para o meu pai para me trazer às realidade e eu ser capaz de resolver o problema.

Quando acabei e me sentei no carro para ir buscar os meninos senti uma descarga de adrenalina tal que tremia por todos os lados.



Hoje até dei gracas a Deus ter de usar máscara porque me deu tempo para me recompor e esconder a cara de choro quando fui buscar a miúda.

Dois minutos depois de a ter comigo tudo desapareceu e voltei à minha bolha de amor .