Fim de semana bom

Dia de Festa

Ontem foi dia de festa, a celebração de 25 anos de união de 2 pessoas de quem gosto muito.  Os meus tios viviam em união de facto à 25 anos e ontem oficializaram a sua união.

Estava tudo perfeito adequado à situação é às pessoas que partilharam com eles este dia. Quando fizer 25 anos de casada também quero um dia de festa assim com direito a vestido de noiva e tudo.

Fui feliz, não me senti incomodada com o vestido nem pensei por uma vez só que estava gorda e que se notava as banhas.
Dancei, sorri e convivi sem os excessos que normalmente acontecem nesses dias. Nestas festas cheias de coisas boas acabo sempre por comer demais, mas ontem o centro não foi o comer mas sim a família e a celebração.

Outra coisa positiva está no facto de eu olhar para as fotos e continuar achar que estava bonita. Coisa que normalmente não acontece, após os dias de festa e quando passa a euforia do dia eu olho para as fotos e sinto-me feia e gorda.

Hoje não foi assim, sou uma mulher que caminha para os 40 e se sente segura e feliz com o que tem e conquistou ao longo dos anos.

Vida de mãe – Viva a fase sem fraldas

A M. já deixou de usar fraldas. Toda a gente pensa: Ah que bom agora é tudo mais fácil!

Enganam-se meus meninos! Ontem fui ao centro comercial e tive que ir 3 vezes ao wc, todas elas em ritmo de corrida, porque ela gritava: “mãe estou aflitinha tenho que fazer cocó!” Na última já estava a fazer o pagamento de uma compra e a senhora da caixa foi muito amável e despachou a coisa muito rápido. Até o multibanco colaborou para que a coisa fosse rápida. Na terceira vez lá fez cocó. Grande festa que fizemos as duas. Era enorme!!! Nunca pensei que a minha filha pudesse fazer tal monstro para terem ideia a sanita encheu de água quando puxamos o autoclismo. Na verdade acho que aquilo ficou um bocadinho entupido. Ups!!!!
Lá vamos nós felizes ás compras mais uma vez até que ela diz: ” mãe acho que preciso de ir à casa de banho outra vez.” Pois precisava, já tinha um “bolo” nas cuecas. Fui com ela até ao estacionamento e como tinha uma muda de roupa no carro não stressei muito. Como era pouco o estrago foi simples limpar, nada que uma mãe prevenida não trate com toda a naturalidade (aviso a todas as futuras mamas tenham no carro: toalhetes, sacos de plástico pequenos, fraldas e uma muda de roupa extra). Como não tinha colocado no saco de emergência umas cuecas extra só tinha fraldas, lá a convenci a meter uma fralda. 
Lá fomos nós felizes ás compras novamente. Estou a entrar no hipermercado e reparo que ela está a fazer um andar muito estranho, típico de quem tem um “bolo” na fralda. Eh pá não vou voltar ao estacionamento eu vinha comprar ovos e natas. Vais ficar assim! digo-lhe com um ar desgraçado ao que ela me diz: “oh mãe não pode ser eu cheiro a batatas podres”. 
Moral da história andei no hipermercado com ela a deitar um belo aroma a batatas podres. E como sou louca ainda a meti no carro com aquele presente fantástico. Atenção levei 5 min a chegar a casa, mas ia morrendo com o pivete. 
Mãe sofre!!! 
Os filhos crescem e o trabalho que temos com eles também! Mas é tão bom ver que ela já está a deixar de ser bebé. (digo isto com uma lagrimita no canto do olho).