Desafio-te ou será desafio-me?

Último dia do #desafio #fms_photoaday e o balanço é bastante positivo. Conseguir quase todos os dias arranjar uma #imagem que fosse ao encontro do tema do dia foi complicado nuns dias, mas na maioria dos dias parecia que a palavra tinha sido escolhida à medida do meu dia.

A palavra de hoje era #natureza, e há lá sítio onde eu me sinto melhor do que no meio da natureza e mexer na terra.

Estou a pensar em criar um desafio como este mas com palavras em português e convidar todos os que me seguem a tentarem fazer o mesmo. Publicar uma foto por dia tendo como inspiração a palavra do dia. O que acham? Haveria alguém disponível a alinhar contigo?

Se não houver não faz mal farei eu por cumprir o meu próprio desafio. 😁😉

#trapices #fms_pad #nature #photography #photooftheday #happydays #happyplace #fms_nature

Ora dá cá dois!

Ontem foi dia de festa… dentro das regras que este tempo louco nos obriga. Não podemos convidar todos os familiares e amigos como gostamos de fazer.Mas isso não nos impediu de celebrar.
O tema da festa escolhido foi o Pocoyo. O Pedro adora-o e ver esses desenhos é muitas vezes a única forma de o convencer a comer ou a parar de chorar. Bendita Netflix. A Madalena também é uma fã destes desenhos animados, por isso foi ouro sobre azul.
Confesso-vos que não estava com espírito para festas, na verdade até estava com mais vontade de chorar do que sorrir. Estava melancólica e sem vontade de fazer nada. Eu adoro festejar, estar com a família e amigos, adoro fazer churrascos, de juntar todos em torno da mesa recheada de comida e bebidas frescas. Este ano isso não ia acontecer…

O meu humor mudou quando a minha filha me perguntou se não íamos enfeitar a sala para a festa do Pedro e cá dentro fez-se click. Ela quis decorar a casa para fazer uma surpresa ao irmão, tal como eu costumo fazer com ela. Ela até permitiu e colaborou na decoração com balões.

Quando o irmão acordou a sesta e veio para a sala ela gritou SURPRESA!!!

Foi o inicio da festa! Desde desse momento houve música, dança, comida, bebida, gargalhadas e boa disposição.
Não celebrámos como costumamos fazer, mas também não deixámos que este covide dum raio nos roubasse o dia e a alegria.
Ele nunca se vai lembrar que este ano foi diferente, a irmã recordará a festa que ela organizou e eu vou-me lembrando que eles crescem rápido demais e que tenho que aproveitar TODOS os momentos.

Ai a birra!!!

Sempre presentes…

Nem sempre tenho capacidade de lidar com elas da melhor forma. Amo os meus filhos mais do que tudo no mundo, mas quando eles estão fazer birras ou no caso da mais velha ser teimosa fico sem saber o que fazer.
Bem sei que as birras, os gritos, as teimosias são fruto de alguma necessidade. Ou sono, ou fome, ou atenção… AHHHH….
mas isto é tão difícil de lembrar quando estão OS DOIS AO MESMO TEMPO a testarem-me a paciência. Não sei se já vos disse mas paciência não é uma das minhas virtudes…

O que vale é que me dá forte mas depois passa, tal como as birras deles.

A maternidade não vem com manual de instruções, por isso vou aprendendo à medida que vou vivendo.

O Resultado final

Não vos mostrei o resultado final de uma tarde bem passada entre mãe, filha e neta. A neta meteu as mãos na massa e ficou satisfeita em 5 minutos. Enquanto foi só ir adicionando os ingredientes ela estava toda satisfeita, mas quando chegou a vez dela de meter as mãos na massa a conversa foi outra. A sua desculpa para desistir ao final de 5 minutos foi que não tinha força suficiente para amassar, que o nível de força necessária seria um 7 mas ela só tinha 6…

Não importa, a memória está criada, o bichinho está lá e quem sabe um dia ela também irá passar pelo o mesmo com os seus filhos.

A bôla estava um espanto, confesso que cada vez que ia à cozinha tinha que comer mais um bocadinho. A Madalena que costuma ser uma esquisita nestas coisas de comidas novas (que neste caso não era nova, mas que nunca se sabe se ela está disposta a comer ou não) depois de comer o primeiro bocado ninguém a conseguia parar.

Páscoa, tempo de recomeçar, de renascer e de estar com aqueles que amamos.

Cada um de nós só tem que arranjar a melhor forma de o fazer!

Haja criatividade

Já se passaram 29 dias ainda se arranja vontade e criatividade para fazer mais trabalhos manuais .

Como estamos na Páscoa ela fez uma cruz porque foi nela que Jesus deu a vida por nós.

Se não estivéssemos confinados aqui em casa talvez nunca nos passaria pela cabeça fazer este trabalho.

Aproveitei um pedaço de cartão que estava guardado para “quando fizer falta”, umas cápsulas da nespresso que a Madalena espalmou (sentando-se em cima delas, e que por sinal foi bastante divertido) e por fim uns restos de feltro que havia aqui por casa.

Não vos passa pela cabeça (na verdade nem a mim) a quantidade de tralhas que eu tenho para fazer “trabalhos manuais”. Acho que é daí que me veio a ideia do nome do blog.

Foi preciso vir uma pandemia para eu lhes dar utilidade.