Amor

Quando estás no lodo e te sentes uma m….

Quando tens um dia de m….

Quando a semana está a ser uma valente m….

Quando só não choras porque estás sozinha com os miúdos.

Abres um caderno para trabalhar e dás com um desenho e uma mensagem da tua filha que te faz esboçar um sorriso.

Pode ser uma ilustração

Não resolveu os meus problemas, mas fez-me pensar que não posso desistir nem entregar-me à tristeza porque tenho o melhor do mundo: AMOR!

Entrei em pânico

Há lá melhor injeção de adrenalina que descobrir um dos pneus furado quando tens que ir buscar os teus filhos à escola e faltam 10 min para eles saírem?

Pois é… Pneu mudado em 20 min isto depois de um ataque de pânico e choro à mistura. Isto de não ter rede segurança e uma equipa de backup para estas situações é f@##_.

Não consigo explicar o desespero que senti quando comecei a tentar tirar os parafusos e aquilo não cedia. Imaginei que ia demorar montes de tempo e pedir socorro ao pai das crianças não ia adiantar as porque ele iria demorar.

Entrei em pânico, confesso. Mas nada como uma chamada para o meu pai para me trazer às realidade e eu ser capaz de resolver o problema.

Quando acabei e me sentei no carro para ir buscar os meninos senti uma descarga de adrenalina tal que tremia por todos os lados.



Hoje até dei gracas a Deus ter de usar máscara porque me deu tempo para me recompor e esconder a cara de choro quando fui buscar a miúda.

Dois minutos depois de a ter comigo tudo desapareceu e voltei à minha bolha de amor .

Brincar

Já desisti de arrumar os brinquedos.

Toda a casa está tomada por brinquedos.

Um dia ainda vou choramingar porque não há mais brinquedos e porque os meus meninos já estão muito grandes.

Por agora, vou deixar a “vida me levar”…

Pode ser uma imagem a preto e branco de interiores

Troféu

Pedro a exibir o seu troféu.

A mãe ainda está a recuperar do susto.

O gaiato decidiu brincar com um relógio de parede (por culpa minha que deixei num sítio onde ele foi buscar e eu não me importei) e partiu o vidro.

Agora imaginem como eu fiquei quando cheguei à sala e está o senhor a brincar feliz com os pedaços do vidro e a puxar os ponteiros do relógio.

Nos 30 segundos que levaram a perceber o que se estava a passar de onde vinha o sangue (já vos disse que tenho 1,80m e pari dois filhos mas não posso ver sangue) senti-me a desmaiar o que vale é que ao mesmo tempo sinto subir a adrenalina e lá levei o miúdo para lavar as mãos.

E o Pedro?

Perguntam vocês (não perguntam nada mas eu digo na mesma).

Estava na boa como se nada se passasse.

Tinha um mini corte no dedo e dizia tenho aqui um risco mãe.

Isto é mais uma vez a prova que eu tenho que Deus olha por ele desde a hora do seu nascimento.

Obrigada Senhor por ser a melhor babysitter de sempre!

E a mãe já levou uma lição!