Feliz Caminhar…

Nunca escondi a minha fé e aproveito todos os motivos para dizer que sou Catequista.

Faz dois anos meti-me numa aventura, se assim o posso dizer,  fazer o curso geral de catequistas. Para quem não sabe no que consta são 3 anos de formação, 2 dedicados à teoria onde aprofundei os conhecimentos relacionados com a Doutrina, Catequética, Pedagogia e Psicologia e um ano dedicado à prática.

Fui convidada pelo Pe. Rui Gouveia a escrever para o jornal da diocese de Setúbal (estou mesmo importante) e as minhas palavras foram as seguintes:

Sou catequista na paróquia de Nossa Senhora do Livramento – Sobreda há cerca de 20 anos. Ao longo destes anos procurei fazer formações e até já tinha feito o curso de iniciação para conseguir estar preparada para dar catequese. O CGC surpreendeu-me porque mesmo antes de estar terminado, já conseguiu abrir caminhos e a fornecer-me ferramentas importantes para dar catequeses melhores.

Dois anos, parece muito tempo, mas passou num instante e aquelas horas que passámos todos juntos serviram para nos enriquecer como catequistas e como cristãos. O papel do catequista e objetivo da catequese é colocar o catequisando em comunhão com Jesus. O catequista precisa de todos os recursos e ferramentas que o CGC lhe dá, mas, mais importante que isso ele tem que os viver no seu dia-a-dia.

A catequese não pode ser feita de discursos sobre teorias, que podem ser interessantes ou não, mas sim da mensagem de Jesus Cristo feita na nossa vida. E é porque acredito e amo a Jesus Cristo que quero cada vez mais conhecê-lo e dá-lo a conhecer aos outros. A partilha de experiências, o convívio e os momentos de oração e celebração entre os catequistas das diferentes paróquias e os diversos formadores, do meu ponto de vista, ajudou-nos a crescer não só como catequistas, mas também como cristãos. “

E porque estou hoje a escrever sobre isto?

Porque hoje é o arranque oficial do terceiro ano e eu estou num misto de medo e ansiedade, parece parvo para o comum dos mortais, mas esta sensação de estar a ser avaliada sempre mexeu com o meu sistema nervoso.

Mas querem saber, basta-me pensar que me propus a caminhar 20 Km a pé a caminho do Santuário de Fátima sem ter feito qualquer preparação física e a coisa correu MUITO BEM. A caminhada é dura, o dia seguinte custou a andar, mas a recompensa não tem medida. Assim será com o ano de estágio do Curso Geral de Catequese.

Uma caminhada que só me trará coisas boas.