Já cheira a Natal

Hoje finalmente arrumei a roupa de verão da Madalena. Guardei tudo numa caixa sabendo que no próximo ano mais de metade do que está lá dentro já não lhe vai servir, mas custa-me desapegar-me daquelas roupas. Têm histórias diversas entranhadas nos seus fios histórias e aventuras que não há máquina de lavar que as apague.

A Madalena aproveitou para brincar com a caixa, como é da praxe. Depois de tudo arrumado fui buscar a árvore de Natal, os respetivos enfeites e o meu presépio da Playmobil. Ela estava louca só queria meter bolas e mais bolas, de preferência todas em cima umas das outras. Não foi uma tarefa fácil mas diverti-me imenso com a capacidade de desenrasque dela. Se não dava para pendurar as bolas nos ramos vai de usar os fios das lâmpadas.

A parte mais interessante foi quando eu abri a caixa do presépio. Ela prometeu não estragar, mas tem andado o dia todo a fazer viagens ao presépio para lhe acender uma luz que ele tem. Até que sem eu ver a roubou para usar nas suas brincadeiras. Cheira-me que este presépio vai ter um layout diferente a cada dia senão a cada hora.

Não importa, já cheira a Natal e com ele cheira também a festa é celebração em família.

Lembram-se do trabalho de casa?

Hoje tive um rasgo de imaginação e descobri como fazer a Madalena participar na produção de um presepio.

Tinha uma tela cá em casa e recorrendo a pedaços e EVA e feltro saíu esta obra de arte.

Eu cortei o EVA e o feltro em pedacinhos com a cola prendemos na tela. A Madalena foi metendo os bocadinhos dos materiais nas silhuetas dos bonecos que eu já tinha desenhado na tela.

Confesso que eu tive que fazer a maior parte do trabalho, porque ao fim de 15 minutos ela já estava farta. Depois foi fazendo coisas no intervalo da brincadeira.

Pode não ser o presépio mais bonito da exposição, mas para mim é o mais valioso.

Fomos invadidos pelo Natal

Por todo o lado apareceram enfeites e luzes de Natal. Aqui em casa só damos início à época natalícia no primeiro dia do advento (início de Dezembro), mas com tanto incentivo não sei se resistimos.

Hoje fomos almoçar ao centro comercial e a Madalena reparou nas decorações de de Natal, estava tão feliz. Quando chegámos ao local onde estava a cadeira do Pai Natal, vazia porque era hora de almoço, ficou triste. Eu disse-lhe que ele tinha ido almoçar e ela ficou com a ideia que ele estaria a comer na zona da restauração. Tive que dar a volta inteira para ela ver que ele não estava lá. Convenci-a que ele tinha ido almoçar a casa porque e Mãe Natal tinha feito comida para ele. Lá ficou convencida. Depois de almoçar o Pai Natal já estava no seu devido lugar. E lá fomos nós para a fila. Eu que dizia que não ia fazer estas coisas de esperar meia hora numa fila só para o meu filho se sentar no colo de um velho, gordo e barbudo. Pois é! Fui, esperei e adorei ver como ela estava com um ar deliciado por ver aquele velho, gordo e barbudo de luvas brancas, como ela disse com ar surpreendido. Ela ficou feliz com o livro que ganhou mas, tal como o ano passado, ficou a dizer que queria era um livro do Mickey! Lá vou eu entrar em despesas por causa do Pai Natal que não sabe o que os miúdos querem!

Já cheira a Natal cá em casa

Será que este resiste às mãozinhas pequeninas cá de casa!