Ele não bebe cerveja mas…

… eu sei bem que não se importava de ter uma destas para beber o café com leite de manhã. Já eu…

…depois de um dia de trabalho cansativo não importava de a ter lá em casa desde que estivesse cheia de cerveja acompanhada de uns tremoços!

Presente para o marido geek

É obvio que não quero esta coisa no meu armário, mas ele gostou bastante do conjunto.

Está cada vez pior no que se refere a assuntos relacionados com Star Wars! May the force be with me, para o aguentar.

Cabeleireira: Valeu mesmo a pena

Hoje fui à cabeleira cortar a franja que já estava que parecia um adolescente rebelde. Sabem como são aqueles rapazes que usam a franja comprida para tapar a cara e depois têm que andar com a cabeça de lado para verem onde põem o pés.
Aproveitei e cortei um bocadinho das pontas que estavam espigadas, nada de drástico, e fiz um desbaste no cabelo todo. Isto do desbaste, ou que raio isto se chama, é um bocadinho assustador. Eu explico esta técnica é usada em cabelos como os meus que são muito volumosos e em grande quantidade e passa por cortar apenas alguns fios do cabelo. Ora como a mulher não ia andar a escolher mechas de cabelo para cortar tem uma tesoura que corta em apenas alguns pontos. A primeira vez que fiz isto ia morrendo de susto, ela pega na tesoura e dá um um corte aí a 5cm do couro cabeludo. Ela já me tinha explicado como ia funcionar mas mesmo assim naquela fracção de segundo pensei e se ela se enganou na tesoura vou ficar com uma falha enorme!!! Adorei o resultado, como tenho menos fios de cabelo por cm quadrado de cabeça o cabelo cai mais e fica mais bonito. Ah ATENÇÃO este procedimento só por ser feito de 6 em 6 meses.
Venho eu toda contente para casa e encontro o marido à porta que me diz:”estás diferente.” E eu respondo: “cortei a franja!” Ah valeu mesmo a pena só pelo elogio que o meu marido me fez! (NOT!). Para a próxima pinto o cabelo de azul ou amarelo pode ser que assim tenha direito a um elogio decente.

Feliz dia do Pai ao Best Dad in the Galaxy

Meti a minha veia artística a funcionar e saiu esta camisola para o pai cá de casa. Os borrões amarelos era suposto ser as mãos da M., mas ela berrava como se lhe tivessem a cortar as mãos quando as viu cheias de tinta. 
O tema da camisola não podia estar mais de acordo com o pai que é um doidinho pelo StarWars. Nem queria acreditar que tinha sido eu a fazer este presente. Ai Ai Ai que estou a meter as expectativas muito altas e depois não me vou conseguir superar nos próximos anos.