O Carro do Pai

Ontem fui ao IKEA trocar um móvel que o marido trouxe enganado e que só custou mais 35 do que eu queria. Mas isso é outra história. Fui de pendura, coisa que agora é raro porque é no meu carro que está a cadeira da M. e é mais simples ser eu a conduzir do que andar a trocar a cadeira. E verdade seja dita eu gosto muito de conduzir. Tive oportunidade de ir a olhar para os outros carros com outros olhos, não é que não olhe para eles quando sou eu a conduzir. Então ao passar por um carro com um para-sol no vidro lateral traseiro com uma Minnie pensei que fofo que isto ia ficar no meu carro (pois os que tenho são pretos e aborrecidos). Até aqui tudo bem! Quando acabamos de ultrapassar o carro vejo que o condutor é um homem, super másculo e bem parecido. Claro que me desmanchei a rir.

Lá dei por mim com os pensamentos a vaguear… Então um homem super-másculo com uma Minnie no carro só pode ser pai e as figuras o que os pais fazem pelas filhas. O seu símbolo de masculinidade marcado com a delicadeza da sua filha. Só os fazem mais atraentes aos nossos olhos, pelo menos aos meus fazem. Não há nada mais delicioso que ver o meu marido a brincar ao caiu com a M., a dançar como o panda ou a fazer qualquer outra figura ridícula só para a entreter. É nestes momentos que eu tenho a certeza que não podia ter escolhido melhor pai para a minha filha. É nestes momentos em que dou por mim a pensar como eu vos amo. Mas este sentimento de amor pelo homem pai também é despertado em mim quando vejo outros homens pais a tomar conta dos filhos e a brincarem com e como eles.

Bolas estou mesmo lamechas…. raios parta o para-sol da Minnie que me levou a pensar estas coisas.

Cabeleireira: Valeu mesmo a pena

Hoje fui à cabeleira cortar a franja que já estava que parecia um adolescente rebelde. Sabem como são aqueles rapazes que usam a franja comprida para tapar a cara e depois têm que andar com a cabeça de lado para verem onde põem o pés.
Aproveitei e cortei um bocadinho das pontas que estavam espigadas, nada de drástico, e fiz um desbaste no cabelo todo. Isto do desbaste, ou que raio isto se chama, é um bocadinho assustador. Eu explico esta técnica é usada em cabelos como os meus que são muito volumosos e em grande quantidade e passa por cortar apenas alguns fios do cabelo. Ora como a mulher não ia andar a escolher mechas de cabelo para cortar tem uma tesoura que corta em apenas alguns pontos. A primeira vez que fiz isto ia morrendo de susto, ela pega na tesoura e dá um um corte aí a 5cm do couro cabeludo. Ela já me tinha explicado como ia funcionar mas mesmo assim naquela fracção de segundo pensei e se ela se enganou na tesoura vou ficar com uma falha enorme!!! Adorei o resultado, como tenho menos fios de cabelo por cm quadrado de cabeça o cabelo cai mais e fica mais bonito. Ah ATENÇÃO este procedimento só por ser feito de 6 em 6 meses.
Venho eu toda contente para casa e encontro o marido à porta que me diz:”estás diferente.” E eu respondo: “cortei a franja!” Ah valeu mesmo a pena só pelo elogio que o meu marido me fez! (NOT!). Para a próxima pinto o cabelo de azul ou amarelo pode ser que assim tenha direito a um elogio decente.

A separação da M.

A semana passada tive que ir passar, por motivos de trabalho, dois dias a Aveiro e isso significaria que tinha que deixar a M. com os meus pais. Parece uma coisa bastante normal visto que ela fica com eles todos os dias com eles quando eu venho trabalhar e sempre sem qualquer tipo de birra ou stress. Tanto pela parte dela como pela minha sempre foi “fácil” separar-mo-nos por algumas horas. 

Nestes 16 meses de M. nunca passei uma noite sem sem ela, nunca fui dormir sem antes lhe dar um beijinho de boa noite. Para ela nesta fase tanto lhe faz a mim é como se esse beijo fosse o suficiente para a proteger de todos os males. Já sabia à algumas semanas que ia ter que a deixar uma noite e estava estranhamente calma com toda esta situação. Quando se chegou à hora de sair de casa e despedir-me dela por mais que umas horas fiquei destruída por dentro e a lágrima lá veio (nota: só de estar a escrever isto já estou novamente a chorar… raio da mulher!!!). Ela estava a dormir e não deu pela minha saída, quando chego ao pé do meu marido ele diz-me com a cara mais tola deste mundo: porque estás a chorar?!?! Os pais nunca vão conseguir o que é este sentimento. 
É como se me levassem um bocado do meu coração. Os dias passaram rápido, ela portou-se bem e eu também (tirando o facto de estar sempre a falar da minha M.).

Agora já estou a sofrer novamente porque vou passar 4 dias fora do país e já sei o que me doí deixá-la. É nestas alturas que eu penso que nós, mães, devíamos ser como os cangurus que têm aquela bolsa na barriga e metia-la lá dentro e levava-a comigo para todo o lado.

Perturbações do sono

Ando claramente com um défice de sono desde que engravidei. No meu caso a necessidade de dormir mais do que realmente estava a dormir notou-se logo no primeiro mês de gravidez. Primeiro eram as noites inquietas a pensar que poderia estar grávida e em tudo o que isso implicaria. Depois de já ter a gravidez confirmada era o ter que dormir de barriga para cima ou de lado, porque não sei quem me disse ou onde eu vi que devia deixar de dormir de barriga para baixo, a minha posição de eleição. Depois foi mesmo o raio do sono que ficou alterado acordava matematicamente às mesmas horas, umas 3x por noite. Ora porque tinha fome, ou tinha sede, ou tinha azia ou porque não tinha absolutamente nada. O certo é que quando a M. nasceu ela acordava para comer exatamente a essas horas. Isto do instinto mãe é algo muito estranho e assustador. 
Agora que ela já tem 15 meses e já deixou de ter que comer durante a noite acorda sabe-se lá porquê e choraminga sempre à mesma hora, 4h30 da madrugada. Eu levanto-me e na grande maioria das vezes basta dar-lhe um bocadinho de água e meter a chucha novamente e ela fica a dormir até às 10h da manhã. É uma anjinha.
Perguntam-se vocês porque me queixo. Queixo-me porque mesmo quando ela não chora a esta hora eu acordo pontualmente às 4h30. E muitas vezes tenho dificuldade em voltar a adormecer. Fico a pensar que ela ainda vai choramingar e que poderá chamar por mim. E acabo sempre por me levantar e ver se está tudo bem com ela. E lá se vai o sono. Sabem há vezes que eu acordo antes de ela choramingar, parece que já estou a prever o seu choro.
Dito isto quando será que volto a dormir uma noite descansada? Quando ela for adolescente não será porque vou estar muito preocupada com as doideiras que ela andará a fazer.
Ah e o Pai? O Pai dorme sempre como se nada fosse, excepto se ela estiver a gritar como se tivesse possuída pelo demónio.

Ser Mãe é estar em permanente estado de alerta e adorar todos os segundos. 

Casais improváveis

Chego a casa e dou com esta madeirense metida em conversas com o Mestre Yoda.

Esta vida está perdida.  Estas gajas não poupam ninguém.

Trapista