Porque mães há muitas…

Breastfeeding Mother Limited Edition PrintDa primeira vez não consegui dar de mamar porque a Madalena não pegava bem porque tinha o freio da língua curto e eu fiquei com muitas feridas e era doloroso para as duas. Da segunda preparei-me com formações, li tudo o que havia para ler e estava confiante.

Quando chegou a hora de dar de mamar eu sabia  o que esperar  e estava preparada para o pior, mas não foi doloroso nem stressante para nós. Ele sempre gostou de mamar e fazia uma boa pega. Contra nós esteve o calor infernal que se fez sentir nos dias seguintes ao nascimento do Pedro. Neste momento o Pedro está a ser alimentado com LM (leite materno) e com LA (leite adaptado) porque ele não fica saciado só com o LM. Por factores vários não consigo produzir leite suficiente para o saciar… tentei tudo o que estava ao meu alcance antes de tomar(mos) a decisão de introduzir LA.

A cada dia que passa vejo-o menos interessado na mama pois dá-lhe muito trabalho e ele deixa-se dormir facilmente (sai ao pai, mas ele não gosta que eu diga estas coisas). Existem momentos em que eu penso em desistir, mas depois cada vez que o coloco a mamar mudo de ideia. Estar ali a lamber a minha cria vale ouro e são momentos que por mais anos que viva nunca esquecer. Cada dia que passa é mais um dia em que eu lhe dei o melhor de mim (literalmente).

Já fiquei triste por não conseguir dar de mamar em exclusivo, já fiquei contente por conseguir dar mama mais tempo que da primeira vez, agora estou tranquila e em paz com a minha escolha e com o que poderá seguir-se no nosso caminho.

O meu filho cresce a olhos vistos, é o menino mais lindo do mundo e eu a mãe mais babada de todos os tempos.

 

Imagem

Para subir ao Everest da Amamentação tenho que me preparar com o equipamento necessário. Não há garantias que consiga chegar ao topo, mas uma certeza tenho, é que não vou desistir sem dar luta.