Baby Blues

Ou como eu costumo dizer: Raios parta as p”#$% das hormonas.

Muitas mulheres no pós-parto passam por uma perturbação emocional conhecida como baby blues. Ora no que consiste esta coisa do baby blues? A mulher pode estar num estado de tristeza, melancolica, desconfortável e com acessos de choro constantes.

E porque raio venho eu falar disto agora?

Porque foi exactamente assim que eu me senti logo após a Madalena nascer. Tudo me fazia chorar, ou chorava porque as roupas dela lhe ficavam grandes ou chorava porque as minhas ficavam pequenas. Chora até porque alguém perguntava porque estava eu a chorar. Foram uns dias horriveis. Estava feliz como é obvio, tinha o maior tesouro da minha vida nos braços mas não tinha qualquer controlo das minhas emoções. Quando vamos visitar alguém que teve bebé, ou falamos com alguém sobre o pós-parto e o vir para casa raramente se fala disto. Nunca ninguém me tinha dito que ia levar MEGA chuto no cú das p”#$% das hormonas.

Felizmente no meu caso foi mesmo um baby blues, que é caracterizado por durar apenas uns dias, mas existem mulheres que acabam mesmo por entrar no estado de depressão pós-parto. Muitas mulheres entram em depressão porque se sentem tristes (culpa das hormonas) quando a “regra” diz  que elas têm que estar felizes e por isso desenvolvem sentimentos de culpa e isolam-se… Sendo muitas vezes necessário recorrer a ajuda profissional para saírem deste estado.

Quem já foi mãe sabe, e quem não foi imagina,  que existem uma quantidade enorme de ajustes a fazer na sua nova relação mãe/filho, que a privação do sono, e as alterações na vivencia familiar podem muitas vezes influenciar o nosso estado de espírito e a nossa sanidade mental. Por isso pais lá em casa tenham um bocadinho de compaixão de nós e perdoem-nos as mudanças repentinas de humor, o aspecto menos cuidado, o choro descontrolado, a falta de carinhos e mimos… São as hormonas… elas vão dar tréguas… nós é que podemos ficar “um bocadinho” afetadas e nunca mais voltarmos a ser a mulher que apenas tinha um amor para cuidar. Desculpem-nos mas vocês virão sempre depois dos filhos…

In Good Hands - mother with twins print by Katie m. Berggren

Bem sei que as p!”#$ das hormonas vão estar lá à minha espera depois do parto para me f!”$#$ o juízo, mas agora já sei… não me vão apanhar desprevenida! Nem sozinha, que desta vez tenho além de um bebé para cuidar uma princesa que nunca me deixa ficar triste ou com tempo para estar com choros parvos!

 

Dia do beijo

Não começou tudo com um beijo…

Mas foi o primeiro beijo que eu te roubei naquele dia deu o tiro de partida para a nossa vida a dois.

Hoje já não damos tantos beijos como naqueles primeiros dias, meses, anos… bolas já passaram 14 anos.

Hoje dou (damos) mais beijos à nossa menina, a princesa da casa.

O nosso amor cresceu e vai dar novamente fruto em breve vamos ter o nosso príncipezinho para encher de beijos.

Cada vez maior…

Descontraída (demais)

Cada vez que vejo um bebé pequeno penso: “daqui a uns tempos também tenho aqui o meu. Será que ainda sei como cuidar de um bebé tão pequeno?”

Rapidamente esse pensamento foge de mim e outros tantos aparecem, não fosse a cabeça de uma mulher uma máquina que não pára um segundo.

Outra coisa que me fica a martelar é: “tu ainda não tens as coisas preparadas. Devias pensar em orientar a mala e a cama e… Ah deixa lá logo faço isso ainda tenho tempo!”

Acho que estou descontraída demais em relação a este ponto de preparar a vinda do bebé. Talvez seja por querer inconscientemente prolongar este momento especial que é a gravidez e desfrutar da minha filha sem ter de dividir a atenção entre ela é o irmão. Mas tenho que meter mãos à obra e começar a organizar tudo!

Continua a febre do futebol

Fomos às compras ao continente, deram-nos umas saquetas com autocolantes. A Madalena ficou maluca porque tinha autocolantes do Benfica. Expliquei que eram da seleção e ela ficou feliz na mesma. Ainda tive direito à pedinchice da caderneta. Lá a convenci em colar os cromos no caderno dela.

Chegou a casa toda feliz e pediu ao pai para lhe dizer os nomes dos jogadores. Já que aqui a mãe não sabia mais nomes que o Nani, Rui Patrício e Luís Figo… os outros todos que ela tinha esqueçam.

O pai lá entrou na felicidade dela e disse-lhe os nomes todos. Quando contei ao Mário que ela queria que eu lhe comprasse a caderneta ele responde com um ar de felicidade no próximo mundial eu já posso comprar a caderneta e cromos dos jogadores…

Já viram bem a minha vida?

Ainda o puto não nasceu e o pai já está a fazer planos para o usar como desculpa para fazer coleção de cromos da bola.