Quinoa – A minha experiência

Ontem quando saí do trabalho fui comprar umas coisas que estavam em falta e não perdi a oportunidade de comprar Quinoa.

Depois do jantar enquanto o marido acabava de arrumar a cozinha e eu preparava a minha salada para o almoço de hoje aproveitei para cozinhar a quinoa. Meti uma chávena de quinoa para 2 de água. Adicionei um bocadinho de sal. 

Deixei cozinhar até os grãos ficarem transparentes e aumentaram um bom bocado de volume. Ainda ficou um bocadinho de água no fundo da panela que penso que se tivesse deixado mais um bocadinho ao lume teria secado. O cheiro da quinoa a cozer assemelha-se ao do feijão, mas não tão intenso. Coei a quinoa para ficar bem seca e ficar pronta a adicionar à minha salada. 
O sabor é bastante bom. Quando quente faz lembrar massa cozida. Hoje já vou comer a minha salada com quinoa! yupi.
A minha salada normalmente tem: alface, rúcula, rabanete, pepino e queijo ou delicias do mar. Hoje ganhou mais um ingrediente.

O Carro do Pai

Ontem fui ao IKEA trocar um móvel que o marido trouxe enganado e que só custou mais 35 do que eu queria. Mas isso é outra história. Fui de pendura, coisa que agora é raro porque é no meu carro que está a cadeira da M. e é mais simples ser eu a conduzir do que andar a trocar a cadeira. E verdade seja dita eu gosto muito de conduzir. Tive oportunidade de ir a olhar para os outros carros com outros olhos, não é que não olhe para eles quando sou eu a conduzir. Então ao passar por um carro com um para-sol no vidro lateral traseiro com uma Minnie pensei que fofo que isto ia ficar no meu carro (pois os que tenho são pretos e aborrecidos). Até aqui tudo bem! Quando acabamos de ultrapassar o carro vejo que o condutor é um homem, super másculo e bem parecido. Claro que me desmanchei a rir.

Lá dei por mim com os pensamentos a vaguear… Então um homem super-másculo com uma Minnie no carro só pode ser pai e as figuras o que os pais fazem pelas filhas. O seu símbolo de masculinidade marcado com a delicadeza da sua filha. Só os fazem mais atraentes aos nossos olhos, pelo menos aos meus fazem. Não há nada mais delicioso que ver o meu marido a brincar ao caiu com a M., a dançar como o panda ou a fazer qualquer outra figura ridícula só para a entreter. É nestes momentos que eu tenho a certeza que não podia ter escolhido melhor pai para a minha filha. É nestes momentos em que dou por mim a pensar como eu vos amo. Mas este sentimento de amor pelo homem pai também é despertado em mim quando vejo outros homens pais a tomar conta dos filhos e a brincarem com e como eles.

Bolas estou mesmo lamechas…. raios parta o para-sol da Minnie que me levou a pensar estas coisas.

Ajudar os outros com conta peso e medida!

Eu gosto bastante de ajudar os outros e faço disso um lema da minha vida. No trabalho também costumo ajudar quem precisa. Não vejo qualquer mal nisso. Agora não me venham com datas de validade para ajudas, com urgências. Então tu é que precisas de mim e eu é que tenho que estar ao teu dispor. Nem pensar!!! 
Eu ajudo é sempre a forma como eu respondo quando me pedem algo. Mas… tem que ser dentro da minha disponibilidade. Já ajudei, ajudo e ajudarei…Agora não me venham com cobranças que lá se vai tudo por água a baixo! 
Não posso estar a prejudicar o meu trabalho e a atrasar as coisas que tenho em mãos para ajudar os outros. Estou certa ou estou errada? Eu penso que estou certa mas depois tenho aquele grilo a falar-me no ouvido e a dizer que se calhar até dava para a ajudar… Mas 12h x 6 dias é um ajudar um bocadinho grande não é? Será que devia pedir contrapartidas? Mas assim já não era ajudar. Raios parta como a vida de crescido é tão complicada.
Ajudar os outros sim! Mas com conta peso e medida!

E se as princesas da Disney não tivessem cintura fina???

… eram lindas na mesma!!! 

Prenda do marido: EcoBook + desenho fofinho

Afinal o livro tinha um desenho fofinho. Estava mesmo a precisar de um mimo que ando de rastos.